Logo CMPS

Log in
updated 2:03 PM -03, Jul 12, 2019

História da CMPS

Print 7A história da Congregação da Missão - Província do Sul (CMPS) está enraizada no exemplo de São Vicente de Paulo (1581-1660), santo francês que ficou conhecido por ajudar o próximo e ficar perto dos mais necessitados do seu tempo.

Em 25 de janeiro de 1617, em Folleville, na França, São Vicente teve a ideia de formar um grupo de padres para percorrer o interior do país em missões junto aos pobres camponeses. No dia 17 de abril de 1625, com outros três padres, assinou o contrato de fundação da Congregação da Missão, que foi reconhecida pela Igreja em 1633.

Em 1646, os padres lazaristas – como eram conhecidos, porque habitavam a casa de São Lázaro em Paris –  partiram para missões na Itália, na Argélia, na Irlanda e na Escócia. Em 1648 chegaram a Madagascar e, em 1651, atendendo ao pedido da rainha Maria Luiza de Gonzaga, esposa do Rei Casemiro, Vicente de Paulo enviou os cinco primeiros missionários para a Polônia.

Em 1660, quando São Vicente morreu aos 79 anos de idade, a Congregação da Missão já tinha 622 membros, que exerciam seus ministérios em oito países.

Aos 15 de abril de 1820, vindos de Portugal, chegaram ao Brasil os dois primeiros lazaristas: Pe. Leandro R. P. de Castro e Pe. Antonio Ferreira Viçoso. Estabeleceram-se em Caraça, em Minas Gerais. Eles são as raízes da Província Brasileira da Congregação da Missão (Província do Rio de Janeiro).

Em 1875, o presidente da Província do Paraná, Adolfo Lamenha Lins, incentivou a imigração de colonos europeus. A primeira leva de imigrantes poloneses chegou alguns anos antes, em 1869. Seu objetivo era fixá-los como legítimos proprietários das terras e não como operários de grandes latifúndios, como acontecia em outros estados. Assim, em 1875, nasceram as Colônias Santa Cândida e Orleans.

Em 1876, chegaram da Polônia mais 182 famílias que foram assentadas em terras adquiridas pelo governo na localidade denominada Campina dos Ausentes, a 17 km de Curitiba. A nova colônia recebeu o nome de Tomás Coelho, em homenagem a Tomás José de Almeida Coelho, então ministro da Agricultura do imperador Dom Pedro II.

História 2 Igreja São Miguel Tomás CoelhoOs imigrantes logo construíram uma pequena igreja dedicada a São Miguel Arcanjo, padroeiro das colheitas.

Em 1896, Dom José de Camargo Barros, primeiro bispo da recém-criada Diocese de Curitiba, trouxe do Rio de Janeiro os primeiros missionários lazaristas para dirigir o Seminário Diocesano que funcionava em um prédio alugado na Rua Comendador Araújo.

Aconselhado por eles e com a mediação de Dom Cláudio Gonçalves Ponce de Leão, bispo vicentino de Porto Alegre, Dom José de Camargo Barros, em 1899, solicitou ao Superior Geral da Congregação da Missão, Pe. Antoine Fiat, padres missionários poloneses para atender às necessidades espirituais do grande número de imigrantes do Paraná.

O Superior Geral apresentou o pedido ao Visitador da Polônia, Pe. Soubieille. Mas foi seu sucessor, o Pe. José Kiedrowski, Visitador da Província da Polônia de 1900 a 1906, que atendeu ao pedido de Dom José. E, em 1903, enviou para o Paraná os quatro primeiros missionários poloneses, três padres e um irmão – Pe. Boleslau Lucas Bayer (responsável pela missão), Pe. Francisco Chylaskek, Pe. Hugo Dylla e Ir. Alexandre Wengrzyn.

História 3 Quatro primeiros padresNo dia 19 de maio de 1903, eles partiram de trem, de Cracóvia para Paris. Visitaram Lourdes, Dax e Berceau e Bordeaux, de onde saíram no dia 3 de junho, no navio Amazone, da Cia. Chargeurs Réunis, rumo ao Brasil. No dia 21 do mesmo mês, aportaram no Rio de Janeiro. Foram recebidos pelos missionários vicentinos franceses que já atuavam na cidade (Pes. Fréchet e Azymar).

No dia 27 de junho, embarcaram no navio Itaipava, que os levou até o porto de Paranaguá, onde chegaram no dia 29. No dia seguinte, tomaram o trem até Curitiba. Foram recebidos pelos coirmãos Pe. Desidério Deschand e Pe. Mello, que trabalham no seminário diocesano. No dia 4 de junho, um sábado de manhã, foram de carroça para a Colônia Tomás Coelho, na Freguesia de Nossa Senhora dos Remédios de Iguaçu, hoje Araucária. Foram recebidos com festa pelos colonos poloneses.

A Província de Cracóvia não enviou apenas os quatro primeiros missionários, mas continuou enviando outros que se juntaram aos pioneiros. Até a criação da Vice-Província em 1921, vieram ao todo 28 padres e três irmãos coadjutores.

Entre 1903 e 1921, os padres poloneses que atuavam em missão no sul do Brasil eram comandados por um Superior regional. Esse cargo foi ocupado pelo Pe. Boleslau Bayer até 1910. A partir dessa data até a criação da Vice-Província, o Superior regional era o Pe. Francisco Chylaszek.

Aos 6 de outubro de 1921, o Superior Geral da Congregação da Missão, Pe. François Verdier, de comum acordo com o Visitador de Cracóvia, Pe. Kasper Slominski, criou a Vice-Província Polonesa no Brasil – que, nesta época, contava com 20 padres e dois irmãos, todos poloneses.

A sede estava na casa situada na Rua Cruzeiro (atual Jaime Reis, 531), em Curitiba. No dia 23 de setembro de 1920, os Pes. Francisco Chylaszek e José Góral haviam comprado cinco lotes pertencentes ao Sr. Carlos Dietzch neste endereço, junto com uma casa.

Em 27 de setembro de 1969, o Superior Geral, Pe. James W. Richardson, com a anuência do Visitador da Polônia, Pe. Francisco Myszka, criou a Província de Curitiba com o nome de Congregação da Missão Província do Sul, tendo como território os estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, e Curitiba como sede. A comemoração oficial ocorreu no dia 29 de novembro de 1969. Além de todos os padres da nova Província, estiveram presentes o Assistente Geral da CM, Pe. Floriano Kapusciak, e o Visitador da Província de Utica (EUA), Pe. Henrique Sawicki.

No ano de sua criação, a Província do Sul contava com 1 bispo, 49 padres (33 poloneses e 16 brasileiros), 7 irmãos, 8 noviços, 165 seminaristas menores. Possuía 19 paróquias e uma capelania que formavam seis Casas Canônicas, além do Seminário Menor e do Seminário Maior (Filosofia e Teologia).

Para saber mais curiosidades sobre a história da CMPS e da Província do Sul, assista à série de vídeos “Congregação da Missão Província do Sul - Ontem, hoje e amanhã”.

Texto baseado no capítulo “Nossas origens”, do Pe. José Carlos Fonsatti, publicado na edição nº 148 do IPROSUL, em 2003.